PFW – Balmain, as lembranças de Bordeaux por Olivier Rousteing

Nesta semana, demos início a mais uma fashion week, e voamos para a cidade conhecida por ser a mais romântica de todas… bonjour Paris! Vamos conferir um dos desfiles que mais me chamou a atenção de uma marca que AMO? Balmain!

Olivier Rousteing disse em uma entrevista que sempre consulta os arquivos da marca antes de iniciar uma coleção. Com o sucesso das peças apresentadas em seu desfile de verão, inspirado nas rosas de Pierre Balmain, o designer decidiu seguir a mesma linha para o inverno, focando em elementos naturais e mais “verdes”.

Para o outono de 2024, Olivier viajou no tempo para se inspirar nas frutas que o próprio fundador da marca cultivava em seu jardim, incluindo elementos afetivos do designer. Isso resultou em uma coleção única que foge das maçãs e morangos normalmente apresentados pela Balmain, focando na matéria-prima dos vinhos: a uva!

A coleção é como uma própria vinícola; vimos a fruta sendo representada de diversas formas, como em estampas e bordados, e em elementos como chaveiros, brincos e até mesmo colares.

Bordeaux, cidade onde Olivier viveu e que serviu como o principal ponto de inspiração para sua coleção, devido às grandes vinícolas presentes na cidade, foi o cenário de lindas lembranças de design, como os piqueniques que ele fazia com seus amigos. É daí que vieram as estampas xadrez presentes no desfile, das próprias toalhas dos piqueniques.

Todas as peças tinham um toque de alfaiataria “novo estilo francês”, criado pela própria marca há 75 anos. Muitas saias, vestidos, calças, trench coats, tudo muito bem estruturado e, claro, com aquele toque de alta costura parisiense que amamos.

Olivier assumiu o posto de diretor criativo da marca em 2011, com apenas 25 anos. Muitos diziam que ele era jovem demais para um cargo tão grande e importante dentro de uma marca com tanta história como a Balmain. No entanto, a cada coleção que passa, Olivier prova todo o seu talento e capacidade, sempre unindo a modernidade com a tradição. Eu amo! E vocês, o que acharam desta coleção?

Beijos, Lalá! 

FALL 2024 – desvendando as tendências de inverno da Milão Fashion Week

A Milão Fashion Week chegou e com ela trouxe um verdadeiro show de tendências para 2024. Vamos dar uma olhada em algumas que podemos adotar para o inverno?

Brilho

Quem disse que brilho só é permitido à noite? Esqueça isso! Alberta Ferretti e Tom Ford mostraram que pedras, glitters e paetês podem brilhar em plena luz do dia. Óbvio que podemos optar por pontinhos específicos, mas por que não looks completos né? A única regra é se sentir linda e confiante.

Transparência

A sensualidade foi a estrela em Milão, e a transparência continuou sendo a favorita dos designers, como Giuliano Calza (para GCDS) e Giorgio Armani. A maioria das peças veio com uma sobreposição mais pesada para dar uma quebrada no sexy.

Casacos Maximalistas

Já havia falado por aqui que uma das tendências mais fortes para 2024 é o maximalismo, e os desfiles da Bottega Veneta e Armani vieram para confirmar isso. Os casacos como peça principal prometem bombar no inverno, especialmente se tiverem estampas chamativas. As amantes do mob wife vão adorar!

Plumas

Plumas? Sim, plumas! O que pode parecer estranho para alguns é perfeito para dar um toque de personalidade aos looks, como mostrou Matthieu Blazy na coleção de outono da Bottega. Peças elegantíssimas com plumas, mais uma prova de que o maximalismo está mais forte do que nunca.

Laços

Óbvio que não poderia faltar o queridinho das fashionistas e das coquette girls, os laços reinaram em diversos desfiles, como da  Prada e da Vivetta. incrível como um elemento tão simples e fácil de ser feito conseguem trazer tanta delicadeza com um toque romântico para os looks.

Agora sai Milão e entra Paris Fashion Week, quem sabe essas tendências se mantêm, não é mesmo? Estou apostando que sim! E você, vai adotar alguma dessas? Me conta!

Beijos, Lalá!

Burberry fall 2024 – a busca por equilíbrio entre a tradição e contemporaneidade

Sei que já estamos no embalo da Milão Fashion Week, mas não posso deixar de passar em branco da marca que mais exala o ar londrino, a Burberry.

Mais uma vez, Daniel Lee optou por nos encantar em um cenário externo, escolhendo o encantador Victoria Park como palco para sua apresentação. Desde que assumiu o papel de diretor criativo, ele prometeu uma Burberry renovada, mas sem abrir mão da tradição que tanto amamos. E o desfile da coleção Fall 2024 foi a prova viva de que ele está cumprindo sua promessa com maestria, elevando a marca a novos patamares de sofisticação e contemporaneidade.

A passarela foi dominada por ícones britânicos, como Lily Cole e Naomi Campbell, que desfilaram com uma elegância incomparável. Os looks apresentados mesclavam elementos clássicos da Burberry com toques modernos e inovadores, resultando em uma coleção que nos transportou para uma jornada de estilo e glamour, fala sério, tem melhor? Os trench coats, em sua versão em couro, foram verdadeiros destaques, nos passando uma vibe de luxo e atitude que capturou a atenção de todos os presentes. Tudo isso ao som da  voz inconfundível de Amy Winehouse, o público era envolvido por uma atmosfera 100% londrina

Sobre as peças, o verde musgo, evocativo dos uniformes do exército britânico, esteve em evidência, adicionando um toque de autenticidade e tradição à coleção. Lenços na cabeça, calças volumosas, tricôs com decotes em V e maxicachecóis foram alguns dos elementos que marcaram presença, cada um contribuindo para criar um visual que era ao mesmo tempo atemporal e moderno.

A missão de Daniel é clara: resgatar todo aquele espírito cool britânico que tanto marcou os anos 90 e reinventá-lo para os tempos modernos. E, ao meu ver, ele está cumprindo essa meta muito bem. A marca continua a nos encantar e surpreender a cada temporada, reafirmando seu lugar como uma das marcas mais icônicas e influentes da moda. Mas e vocês, também amam todo o  charme inconfundível da Burberry?

Beijos, Lalá!

NYFW – O drama sombrio de Thom Browne

O retorno triunfal de Thom Browne à NYFW foi um verdadeiro espetáculo de drama e elegância sombria. Depois de uma ausência , o designer encerrou sua passagem pela semana de moda nova-iorquina com uma exibição verdadeiramente memorável.

A fonte de inspiração para sua coleção de retorno, o poema “The Raven” de Allan Poe, datado de 1845, adicionou uma camada de profundidade e mistério ao desfile. A história do estudante enlutado e seu encontro com um corvo sinistro, cujas respostas monótonas ecoavam o desespero, serviu como a base perfeita para Browne criar uma narrativa visual envolvente.

Cada peça desfilada parecia contar sua própria história, com referências sutis ao poema permeando toda a coleção. Desde redes adornadas que evocavam a imagem de pássaros em voo até os casacos adornados com corvos e a emblemática frase “...nevermore...” bordada, a atmosfera de mistério estava presente em cada detalhe.

As rosas, símbolo de amor e luto, adicionaram um toque de melancolia à estética geral, uma homenagem comovente à tradição de deixar flores no túmulo de Poe. A fusão entre o fantástico e o real, entre o sonho e a melancolia, elevou o desfile a uma experiência cinematográfica, digna de um conto de Tim Burton

Os looks apresentados exibiam uma estética coquete com um toque gótico, onde laços, transparências e brilhos eram tingidos de preto, emprestando ao conjunto uma aura sombria e sedutora. Foi um espetáculo de moda que desafiou convenções e levou o público a uma viagem através do tempo e da imaginação.

enfim, o desfile de Thom Browne foi um ponto alto na NYFW, uma exibição magistral de alta costura em meio aos desfiles comerciais desta semana de moda. E você, o que achou dessa jornada pelo mundo sombrio e fascinante de Browne? Conta pra mim!

Beijos, Lalá!