Os benefícios do gergelim na alimentação!


Semana passada estava com a nutricionista Carol Morais em casa (ai que delicia!) e ela me mimou muito preparando comidas saudáveis. Na hora de montar a salada, Carol sempre arrematava com um punhado de gergelim torrado. Além de deixar a salada mais bonita (o que para mim é mega importante. Apresentação é tudo!), ela fica crocante. Eu amo crunch e já achei aquilo a maior descoberta dos últimos tempos. Perguntei para a Carol quais são os benefícios e porque ela sempre acha um jeitinho de colocar gergelim no prato. Como sei que a gente adora o tema saúde por aqui, resolvi pedir para a Carol contar porque essa semente pode ajudar a gente a ficar mais lindas e saudável.

Carol explica:” O gergelim é uma das melhores fontes de cálcio, ele é riquíssimo em gorduras do bem, que ajudam a produção de hormônios e moléculas antiinflamatórias. Entre essas gordurinhas, temos a lecitina, que dá uma baita ajuda ao nosso sistema nervoso. Este que, recentemente, anda mesmo muito nervoso porque não temos nos alimentado direitinho e mal consegue garantir umas sinapses.
Essa sementinha linda, cheirosa e saborosa ainda tem vitamina E (super antioxidante, se joga!) e metionina, um aminoácido essencial que não conseguimos produzir. Este aminoácido ajuda o fígado a transformar algumas toxinas, como o álcool. Alô, galera do chopinho!

Ainda tem muita coisa mesmo no gergelim: ferro, magnésio (nosso mineral mestre que participa de praticamente todas as reações bioquímicas e que consumimos tão pouco), fósforo, cobre e cromo. Acha que acabou? É uma fonte de mucilagem, um tipo de fibra que ajuda o intestino a funcionar feliz da vida”.

Precisa de mais motivos para acrescentar ele na sua alimentação djá? Não né! Eu coloco um punhado na frigideira, deixo no fogo baixo. Em um minutinho ele começa a pular que nem pipoca. Esta feito! Agora é só jogar por cima da salada e ahazar!

Para mais dicas sobre alimentação saudável ou de uma nutricionista para fazer o seu detox, clique aqui no site da Carol Morais! 

Os benefícios da batata doce na alimentação!

Muitas meninas me pedem para falar mais aqui no blog sobre a minha alimentação. Juro juradinho que vou reforçar esse tag, tá? Para começar, um alimento que não fazia parte do meu cardápio (acho que não é muito tradicional na comida goiana), mas que agora entrou com força total na minha vida: a batata doce. A gente sempre sente falta daquele carboidratozinho, né? Eu sinto muito e, por indicação da minha nutri, a batata doce entrou na minha vida como um carbo do bem e substituir o lugar do arroz ou da batata branca.

Quer saber por que da troca? A Carol Morais, minha nutri, explica: “A batata doce é uma boa fonte de carboidratos, é rica em fibras, e tem potencial alcalinizante sanguíneo, que auxilia no ganho de massa muscular. Além disso tem baixa carga glicemica, ou seja, dá energia a longo prazo e fica mais difícil esse açúcar ser transformado em gordura. Já a batata branca – tradicional- tem alta carga glicêmica, uma maior velocidade com que a glicose (açúcar) chega na corrente sanguínea. Ela é indicada no pré treino para dar energia”.

Um purêzinho de batata doce + um frango (de preferência orgânico) grelhado e uma porção de salada é o prato perfeito para quem deseja uma refeição saborosa e equilibrada. Vamos pesquisar novas receitas e possibilidades com a batata doce? Quem tiver, ajude-nos aí nos comentários!

 

#projetolalanoleto: Alimentos que ajudam no combate a celulite

O verão está aí, piscina, praia e coisa e tal. Quem já está preparada para encarar o biquíni? Tá tenso? Por mais regradinha que você tenha sido o ano todo, a gente sempre pensa que algo poderia estar melhor. Mais lisinho, mais durinho e coisa e tal (#mulheres!). Falando nisso, a minha nutricionista preparou uma lista de alimentos que a gente pode (e deve!) consumir para encarar o verão com mais dignidade. Alimentos que ajudam no combate a celulite. Sim, essa danada! Vamos saber o que pode ajudar a pele a ficar mais gostosa. Afinal, a gente é o que a gente come.

Romã: fonte de ácido elágico que auxilia na reparação cutânea, promovendo a regeneração da epiderme. É um potente antioxidante com propriedade antiinflamatória e participa como protetor para flexibilidade dos vasos sanguíneos. Você pode usar na salada, em molhos como esse aqui ó, ou ainda comer pura.

Mirtillo e jabuticaba: É uma das frutas frescas mais ricas em antioxidantes já estudadas. Tem um conteúdo particularmente elevado de polifenóis tanto na casca quanto na polpa, os quais conferem funções de proteção sobre as paredes das células. Hoje se encontra com mais facilidade congelado, fresco e orgânico. Perfeito para sucos, saladas de frutas, combina muito com manga e coco. Mas óh, se você não achar mirtillo, temos nossa frutinha brasileira maravilhosa, a jabuticaba, percebe como se parecem? Mas atenção a casca dela é mais antioxidante, então, aproveite.

Açaí, cereja e uvas: fonte de antocianinas (um pigmento das frutas), que inibem a produção dos radicais livres, ou seja, mais antioxidante. E ainda exercem importante habilidade em se quelar aos metais tóxicos, ajudando a gente se livrar de tantos metais que colocamos pra dentro através de panelas e outras fontes.

Berinjela, rabanete, brócoliscouve-flor, alho: Ricos em compostos enxofrados, hepatoprotetores, auxiliam na eliminação de toxinas e possuem atividade antioxidante. Além disso são antiinflamatórios. O que não faltam são receitas com esses vegetais neah?

Vegetais folhosos escuros, algas, rabanete, frutos do mar: São ricos em boro, que mantém alinhada as fibras elásticas.

Quer saber mais sobre alimentação saudável? Clica aqui no blog da nutricionista Carol Morais